Se liga! Informativo Onda Jovem

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

E o que a gente espera?


E o que a gente espera?

O que esperamos de nosso futuro? Eis uma questão simples, mas de difíceis respostas, nosso sonhos, anseios, ideologias se modificam a cada dia, vamos nos moldando à medida que sofremos com os impasses da vida. É fato e não se pode negar que nossas opiniões são moldadas através dos dias, contudo não podemos nos deixar endurecer pelas mazelas de nossa sociedade.
Nossa cidade passa por um período de duras decisões, denúncias chegam a todo instante sobre uma administração nebulosa, cheia de falhas e indícios de corrupção.
Nesse momento voltamos nossos olhos ao legislativo na esperança de que nossos vereadores cumpram seu papel de fiscalização do executivo, visto que são poderes paralelos totalmente distintos, mas o que vemos é uma extensão da prefeitura dentro da Câmara Municipal.
Isso mesmo, uma extensão, a casa de leis que deveria agir de modo a controlar os atos do executivo para que esse não passe por cima dos interesses públicos faz o inverso, ignora o povo, e numa tentativa anti-republicana busca artifícios inexistentes para desmerecer o trabalho de alguns que ainda se preocupam com a população.
É triste ver que num dos momentos mais marcantes de nossa história política ainda há forças que são vencidas pela ironia de representantes que estão a serviço da desonra, da manipulação e da falta de caráter.
Um representante público deve antes e acima de qualquer coisa ter ciência que sua vida está a serviço daqueles que pagam por seus grandiosos salários, por suas regalias, das quais sou totalmente contra, tendo em vista que representar a população não o torna maioral, sendo assim não precisa de regalias que o diferenciem dos demais.
Política não é profissão, é doação do seu tempo ao outro e à medida que nos sentimos presos por um cargo que não nos pertence, perdemos também nossas esperanças de mudança.
O que move os sonhos são as expectativas de dias melhores, mas o que será de nossos anseios se nos deixarmos endurecer pelas ideologias desumanas onde a força do capital manipulado e extorquido do povo é maior de que as necessidades daqueles que pagam para alguns se sentirem acima do bem e do mal.


VIVIAN SMANIOTO

3 comentários:

  1. A decisão tomada por uma CP é política. A conclusão que se deve chegar é se o prefeito tem ou não condições políticas de seguir administrando a cidade; se ele rompeu ou não com o decoro do cargo; se ele cometeu uma infração político-administrativa.

    Nesse sentido foi o relatório do Ronei. Nilce leu um relatório de defesa fundamentalmente jurídica - o que ali não era o caso.

    Por isso, se ela realmente tivesse estudado os autos do procedimento instaurado na CP, se ela tivesse formado seu convencimento de que o prefeito tem ainda condições políticas de permanecer administrando a cidade, e assim tivesse argumentado e votado, eu respeitaria totalmente sua decisão, reitere-se, política.

    E justamente por ser uma decisão política, a absolvição seria compreensível, se tivesse sido unicamente pelo convencimento de cada membro que votou pelo arquivamento.

    Ocorre que todas as evidências caminham no sentido de que houve ingerência, houve influência de terceiros, houve a vitória do dinheiro, do poder.

    Almir certamente seguiu à ordem de seu guia e patrão, Pastor Cyro, que deve ter acertado com o prefeito os votos de Almir e de Iraciara (o voto dela se comprovará na semana que vem).

    Piuí já sabia que sua carreira estava seriamente comprometida na política, até mesmo por sua atuação pífia, totalmente contrária aos anseios dos que o colocaram na Câmara. Nada mais "esperto" da parte dele, que uma aposentadoria "gorda". Triste, lamentável, mas serve para o povo tirar de lição que o humilde, o "do povo", nem sempre permanece sendo "do povo" quando se vê diante do poder e do dinheiro.

    Nilce também estava com sua imagem seriamente manchada. E mais, estando no PTB de Elza, agora sem Elza, Nilce teria pouquíssimas chances de se reeleger. Atuando como atuou nos últimos tempos, totalmente em defesa do governo e não da população, ela sabia que estaria enterrada em 07/10/12. Foi lá e também decidiu se aposentar.

    Três aposentadorias indignas, sujas, que certamente trarão muitas coisas, menos sossego para eles.

    E agora, na semana que vem, os limeirenses podem aguradar ainda mais votos pela absolvição do prefeito: Silvio Brito, Carlinhos Silva, Iraciara e Carlos Rossler. E 'ele' ainda vai querer tentar mais um, pra mostrar que tem a maioria do Poder Legislativo. Um poder corrompido, uma legislatura vergonhosa, subserviente, nunca antes vista.

    Limeira, agora precisa juntar os cacos e punir severamente nas urnas todos os que estão coadunados com este governo. E os que estavam até ontem também. Eliseu Daniel está agindo por interesses eleitorais. Raul passou para o lado da população, mas somente por pressão.

    É possível que alguns deles nem se candidatem. Outros terão cara de pau o suficiente para fazê-lo. E merecem a derrota. Merecem uma votação tão pífia quanto suas atuações.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito deste artigo http://www.jornalistas.blog.br/jornalistas3.0/artigo.php?idArtigo=12099#.Tzw0azrhteU.twitter

    ResponderExcluir
  3. Daremos a resposta nas urnas, vamos nos mobilizar para no dia do pleito dvulgar amplamente quem foram os traidores do povo limeirense.

    ResponderExcluir